quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Para rever, muito bom

PPC é um enjoativo/ enjoado. O tom de voz que usa para falar ao público faz-me lembrar o dos falsos castos, dos falsos beatos, da falsidade entranhada, do lobo que veste a pele do cordeirinho. Tenho a certeza que usa óculos sem graduação só porque acha que lhe dão um ar inteligente. Comunica-me com os nervos. Cada vez que aparece na TV mudo de canal. Notem, que há muito não vivo em Portugal, o que seria de vivesse. Ir “curtir”o concerto do Paulo de Carvalho, na noite em que anunciou ao país mais cortes, conseguiu deteriorar (se isso fosse possível) ainda mais a imagem que tinha dele.

O problema é que não existe alternativa. Não parece existir nenhum político em Portugal que não tema cortar de facto com a despesa pública, despedir os tachista e não fazer mais contratações e despesas supérfluas. Há muito que os estadistas se deixaram de reger pelo interesse público.

Revi a opinião emitida em 2010, por Luís Pedro Nunes e, enquanto José Sócrates se passeia pela Sorbonne, só tenho uma palavra a dizer: Brilhante! Recomendo as crónicas deste senhor na revista do expresso. Tenho pena que o Eixo do Mal não passe em Macau...

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Sonhos

Umas das muitas vantagens de estar à espera de bebé são os sonhos.
Estapafúrdios, despropositados, loucos, ridículos, ilógicos, apalhaçados, coisas do arco da velha, tudo cabe nas minhas noites de sono. O que eu me divirto, um fartote de gargalhadas sem som!

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Malditos fenos

Dizem que o nascimento de um bebé faz a Mãe esquecer as dores de parto e todas as maleitas por que passa... Também dizem que ao longo da gravidez se vai perdendo a memória.

Deve ser verdade, lembro-me de ter tido uma gravidez santa... À cautela, com medo de queimar prazos, esquecer consultas e compromissos, anoto tudo o que é importante, ou menos importante, numa agenda ou em listas de ranhosos papelinhos.

Não me recordo de ter alergias enquanto esperava a Loufuzinha. Incharam-me as pernas, as mãos, os braços, a cara, porque nasceu em Setembro e o Verão abrasador em Macau não é brincadeira. No final, pode dizer-se que estava paquidermicamente feliz.

Desta vez, o final da gravidez espera-se menos volumoso (previsto para meados de Fevereiro) mas estou com uma febre dos fenos tão atiçada que respirar entre espirros, nariz entupido, fala nasalada, parece uma impossibilidade...

Lá por casa só se ouve aaaaaaaatttttttttttchimmmm, apre!

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

7 anos

Passaram 7 anos desde o dia do nosso casamento. Um dia bonito de céu azul, cheio de rituais, significados e momentos de romantismo, rodeados pela nossa família e amigos. Alturas em que parece ter sido ontem, outras em que, dada a intensidade dos sentimentos, emoções, momentos que passamos a dois ao longo destes anos, são uma vida cheia.
Passados 7 anos do grande dia, tenho-te a dizer que me crias borboletas na barriga, parabéns meu amor!

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Creche

Voltamos das nossas maravilhosas férias que passaram a correr. Bali continua a ser uma ilha encantadora, a repetir.

Está a ser complicada a adaptação da Loufuzinha à creche. Nos primeiros 3 dias chorou tanto que hoje está afónica, cheia de tosse e irritada por não conseguir expressar a sua revolta. Hoje é dia de pausa pois, tanta provação seguida não pode fazer bem ao meu amor.

Quando está à porta da rua para ir para a “escola” pergunta se vai para a piscina ou para casa da Avó Lalá.

Mentia se dissesse que para mim tem sido fácil. Sempre me considerei uma pessoa calma e racional, até ao momento em que fui Mãe. Passei a ter feitio de leoa, agravado largamente pelo facto de as minhas hormonas andarem esquizofrenizadas pela gravidez do segundo bebé.

Como quase todas as Mães, sabia à partida que esta fase não ia ser fácil, estava informada do que poderia acontecer. Sei as histórias de ABC, da maenira como agem as crianças, do que os pais dos outros sentiram e fizeram mas, sinceramente, estou-me a marimbar para as teorias e para as histórias dos outros.

Não tem sido fácil esta nossa adaptação...

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

2

Loufuzinha fez dois anos em Bali, numa praia paradisíaca rodeada de escorregas e baloiços, esquilos e peixinhos. Teve direito a bolo de chocolate, cantorias e estava feliz.
Nos dias que antecederam o seu aniversário falou em festa, bolo de "colate" (chocolates), "picótis" (pipocas), meninos, no Ruca, na Rósita, no Nódi e em balões. Também queria brócolos na ementa... Está visto que ficou um bocadinho desiludida, ou talvez ainda a tempo de emendar a mão?!
Dois anos muitos giros, de muita alegria, esperteza, vivacidade e uma certa dose de rabinice. Já nem me lembro da vida sem ti, querida. Muitos parabéns!