quinta-feira, 29 de março de 2012

quarta-feira, 28 de março de 2012

Vida suspensa

Não tenho vindo muitas vezes ao blogue porque ando com o coração apertado... Está a ficar de tal forma mirrado que no domingo vai estar do tamanho de um grão de arroz. Durante 3 semanas devo escrever pouco, para não tornar esta xafarica num muro de lamentações. Amor de Mãe é isto, deixar ir porque é melhor para a Lou fu, sofrer muito porque é pior para mim... Os primeiros dias vão ser duros para as duas.
Como se a vida estivesse suspensa.
Até logo!



domingo, 25 de março de 2012

Tédio...

Adormeci várias vezes, até que desisti e resolvi ir dormir para a cama... Não consigo perceber porque razão os Pais da criança "agressora", não saíram porta fora, nos primeiros 10 minutos de acção.
Um tédio!

sexta-feira, 23 de março de 2012

E com esta dou ínicio ao meu fim-de-semana!
Até breve, divirtam-se.

Doce Gaspar

Estava longe de imaginar ser alvo de tamanha paixão, afinal tinha acabado de entrar na terceira idade. Olha para ela de lado a tentar passar despercebido, como quem diz “se eu não olhar pode ser que não me vejas”...

Por seu turno, ela deita-se e acorda a falar nele, só pensa nele, todos os que passam a fazem suspirar pelo seu “Cão Ká”, tenta dar-lhe o biberão e até lhe oferece a chupeta. O momento alto do dia é o passeio lado a lado, de triciclo, à beira Rio.

O melhor amigo da minha filha é o cão dos avós, eu diria mesmo que se trata de uma paixão avassaladora. Ele por seu turno, não lhe passa cartão, já deve estar a imaginar os puxões de orelhas e outras tantas traquinices que se avizinham... Pobre Káká!

Até logo.

Bad hair day

De hoje não passa... Não quero mudar muito, só acertar mas tenho pouco tempo e muita preguiça.
Até logo!

quarta-feira, 21 de março de 2012

Para o dia internacional da poesia

Um poema exemplar: em linhas como:

«Cidade, rumor e vaivém sem paz das ruas,
Ó vida suja, hostil, inutilmente gasta,
Saber que existe o mar e existem praias nuas,
Montanhas sem nome e planícies mais vastas
Que o mais vasto desejo,
E eu estou em ti fechada e apenas vejo
Os muros e as paredes e não vejo
Nem o crescer do mar nem o mudar das luas.
Saber que tomas em ti a minha vida
E que arrastas pela sombra das paredes
A minha alma que fora prometida
Às ondas brancas e às florestas verdes»

(Sophia de Mello Breyner Andresen, «Cidade», Livro Sexto)

terça-feira, 20 de março de 2012

Ginástica zen

Até há bem pouco tempo, as aulas de pilates funcionavam como um momento Zen... Concentrava-me, conseguia alhear-me de tudo excepto os exercícios de costas e abdominais.
A chegada do Verão fez aumentar o n.º de participantes tagarelas, das que lançam gracinhas incomodativas para o ar, alto e bom tom, à espera dos risos dos outros... Quero as minhas aulas de volta!

Preciso de férias

Ando podre, cansadíssima e a precisar urgentemente de descansar, dormir, de preferência numa praia paradisíaca, mar transparente, areia branca e fina, cheia de criadagem para nos servir...
Lá mais para o Verão, pois só agendei férias para Junho... Ai sofro!

segunda-feira, 19 de março de 2012

Feliz dia do Pai

Para os melhores Pais do mundo que, são simultaneamente os mais queridos, dedicados, educados, humorados, bricalhões e bem vestidos... Respectivamente, o meu pai e o pai da Lou fuzinha.
Um dia muito feliz em nossa companhia!

domingo, 18 de março de 2012

Há fins-de-semana assim



Sem pressa, cheios de sol, conversas molengonas e risonhas em esplanadas com vista para a água, passeios de triciclo à beira-rio, na companhia do cão, com muitas gargalhadas, abraços e brincadeiras, maresia, baloiços e brisa, tempo para tudo.
Tão bons!

sábado, 17 de março de 2012

Só aos anjos a lua sorri

Durmam bem...

Arte poética com melancolia

"Preocupam-me ainda as coisas do passado. Escrevo como se o poema fosse uma realidade, ou dele nascessem as folhas da vida, com o verde esplêndido de uma súbita primavera. Sobreponho ao mundo a linguagem; tiro palavras de dentro do que penso e do que faço, como se elas pudessem viver aí, peixes verbais no aquário do ser. É verdade que as palavras não nascem da terra, nem trazem consigo o peso da matéria; quando muito, descem ao nível dos sentimentos, bebem o mesmo sangue com que se faz viver as emoções, e servem de alimento a outros que as lêem como se, nelas, estivesse toda a verdade do mundo. Vejo-as caírem-me das mãos como areia; tento apanhar esses restos de tempo, de vida que se perdeu numa esquina de quem fomos; e vou atrás deles, entrando nesse charco de fundos movediços a que se dá o nome de memória. Será isso a poesia? É então que surges: o teu corpo, que se confunde com o das palavras que te descrevem, hesita numa das entradas do verso. Puxo-te para o átrio da estrofe; digo o teu nome com a voz baixa do medo; e apenas ouço o vento que empurra portas e janelas, sílabas e frases, por entre as imagens inúteis que me separaram de ti."
Nuno Júdice

Como é possível escrever-se tão bem?!

sexta-feira, 16 de março de 2012

Modo: fim-de-semana!

Está uma humidade desgraçada, não se vê uma palmo à frente do nariz, ainda bem que dizem que está neblina porque se estivesse nevoeiro, não sei não. A poluição é mais que muita, basta andar um bocadinho a pé para se sentir, mais tarde, o cheiro a escapes na roupa. Há uma multidão de turistas por todos os lados...
Que se dane, hoje é sexta feira! Divirtam-se, descansem, passeiem e riam muito.
Bom fim-de-semana!

quinta-feira, 15 de março de 2012

Coração apertado...

Daqui a 15 dias o meu bebé vai de férias com o Bolhão, para ver a família paterna. Esta é a segunda vez que nos separamos. No ano passado tive que fazer uma viagem de trabalho à Índia e estivemos separadas durante 5 longos dias. São três penosas semanas de distância de muitos milhares de km e alguns fusos horários. Só de pensar no assunto fico enervada...

Tento ser boa Mãe e escolher o melhor para a Lou fuzinha, estar com os Avós, sempre na companhia do Pai, os primos e os tios, o ar puro, os passeios, as brincadeiras e os piqueniques, podem vir a tornar-se em memórias deliciosamente inesquecíveis.

Eu sofro por antecipação, nem sempre a melhor opção nos acalma o coração! Até logo.

quarta-feira, 14 de março de 2012

"Filho és, pai serás; assim como fizeres, assim acharás."

terça-feira, 13 de março de 2012

Síria

Ontem: 26 crianças e 21 mulheres assassinados em Homs

"Segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, um ano depois do início da revolta popular, reprimida com violência pelo regime de Bachar al-Assad, o número de vítimas mortais já ultrapassa as 8500. Além disso, 1,5 milhões de pessoas necessitam de ajuda alimentar. Há ainda mais de 25 mil refugiados nos países vizinhos e entre cem mil e 250 mil deslocados na Síria."

E a comunidade internacional nada faz? Não vai haver intervenção? De que serviu enviar o Kofi Annan à Síria se vai tudo desviar o olhar para o lado? Que mundo é este?!

Dica matinal

Não se esqueçam que sorrir faz bem à alma.
Bom dia!

The Help


No sábado tivemos uma festa que durou até de madrugada. Fartamo-nos de dançar e chegamos a casa às 4 da manhã. Escusado será dizer que às 9 da manhã de domingo alguém acordou a casa toda com os seus risos e "olá mãe"... Eu tinha tanto sono, aliás, acho mesmo que ainda nem me recompus.
Aproveitamos a tarde de chuva e o frio húmido, para ver o "The Help". O filme é mesmo bom, ri, chorei e pensei para os meus botões que, infelizmente,  ainda há situações enquadráveis no retratado, não são raras e passam-se ao nosso lado todos os dias.
Vão ver e depois digam-me. Até logo!

segunda-feira, 12 de março de 2012

Para sempre, no meu coração

"O colo que não te dei", um artigo do notícias magazine, da autoria de Sónia Morais Santos, do Cocó na Fralda, sobre perdas gestacionais. Retrata o que muitas passaram, infelizmente não sou excepção... Não falo do assunto, o que não significa que me tenha esquecido do bebé muito desejado que, nasceu sem vida. Com os outros preferi o silêncio mas com o meu marido falava compulsivamente sobre a nossa dor, o que passamos e batalhamos,  aproximou-nos muito. Quando a Lou fuzinha nasceu passamos a falar menos mas a memória está sempre presente, comigo.
Comoveu-me.

sexta-feira, 9 de março de 2012

quinta-feira, 8 de março de 2012

Feliz dia da Mulher!

Querida filha, espero que no dia em que atingires a maioridade, haja de facto igualdade entre os sexos... Estamos no bom caminho mas ainda faltam uns quantos passos para percorrer.
Era bom!

terça-feira, 6 de março de 2012

Flores

"É nestas flores, em particular, que
vejo desenhar-se uma linha que me leva
de mim a ti, passando sobre um campo
invisível, onde já não se ouvem
os pássaros, e onde o vento não faz cair
as folhas. Estamos em frente de um canteiro
puramente abstracto, e cada uma destas flores
nasceu das frases em que o amor se manifesta,
e do movimento dos dedos sobre a pele,
traçando um fio de horizonte
em que os meus olhos se perdem. Por isso estão
vivas, e alimentam-se da seiva
que bebem nos teus lábios, quando os abres,
e por instantes a vida inteira se resume
ao sorriso que neles se esboça."

Nuno Júdice

segunda-feira, 5 de março de 2012

17 / 21 °C

E de repente, chegámos ao Verão, acreditem!
Guardem os cobertores eléctricos, as botas e os casacões, os aquecedores, os cobertores mas reservem os min tois (edredões) pois, segundo a sabedoria popular, até ao feriado dos barcos do dragão pode vir algum friozinho...
Até logo!

Um ano e meio

O meu bebé apesar de mignon tem agora estatuto de criança. O tempo passou num instantinho!

domingo, 4 de março de 2012

Juvenus + HydraQuench


Os nomes estrambólicos não comprometem a eficácia dos meus dois novos produtos de beleza...
A minha cútis agradece as novas aquisições pois as mudanças do clima e os aquecedores estavam a secar a minha pele. Decididamente já não me dou bem com os cremes da clinique, sou agora uma mulher multi marcas de tralha dérmica (clinique para os olhos, clarin e shu emura para a cara, crabtree para o corpo, occitane para os pés e mãos, thann para máscaras e esfoliantes, sofro!).
Há uma semana que uso a loção juventus antes de dormir e ao acordar, já noto diferença, o creme da clarins é bem absorvido e ao fim do dia a minha pele continua hidratada e em bom estado. Valeram o investimento...
Até logo!

Downton Abbey

Finalmente, conseguimos voltar a ver alguma televisão... Desta feita a escolha esteve a cargo do Bolhão, estamos a vibrar com esta série inglesa. Muito me agradava viver num palácio destes, a transbordar de criados. Dava festas todas as semanas!
Quando for velha quero ser uma Violet Crawley, fala pausada, boca crispada, ricamente despreocupada e com humor acutilante.
Não percam!

sábado, 3 de março de 2012

99

Hoje a minha Avó E. devia fazer 99 anos.
Saudades das histórias da Segunda Guerra Mundial, dos bolos que não cresciam, das gorilas, das histórias de encantar, da favorita, das termas e do namoro com o avô, dos bailes, dos beijos sonoros, dos verões na ourivesaria, de saltar ao elástico, de fazer crochet, das gavetas mágicas dos colares, das viagens para o piano, dos passeios de eléctrico, dos bifes de perú, das sopas com ovo e croutons (uso o mesmo truque com a minha Lou fu), dos casamentos de bonecas, dos nossos concertos e piscar de olhos...
Saudades.

sexta-feira, 2 de março de 2012

Já dizia Albert Einstein

"O tempo é relativo e não pode ser medido exactamente do mesmo modo e por toda a parte," cabendo-me a mim acrescentar:
A partir do momento em que somos pais ganhamos consciência de que o tempo corre a uma velocidade assustadora, os anos parecem meses e os meses passam em minutos.
O que sentirão os Pais coelhos quandos os seus filhos com apenas 4 meses se emancipam e saem da toca?!
Bom fim-de-semana!

quinta-feira, 1 de março de 2012

E porque o culto

Não cuides que te busco ainda por querer-te
Pois nem te quereria já se tu te desses,
De tanto me aplicar (certa de que o quisesses)
No construir da ideia de perder-te:

Após louco intentar com ardis demover-te
Ao ver que a amor já não era crível que cedesses
Desistindo por fim de crer que tu viesses
Oh, como trabalhei os gestos de não ver-te!


E ao fim de tanto estóico esforço de vontade,
se alguma vez me vires buscar com ansiedade
Nesse lodo em que afunda memórias teu olhar,

Não te iludam vestígios de incansável ardor
Nem atribuas causas a saudades de amor
Que é a mim, nada mais, que eu ando a procurar.

in: Textos pretextuais / Júlia Lello.